Integração Sensorial

Uma das demandas mais básicas do nosso corpo é interpretar e dar respostas a estímulos sensoriais. Existem estímulos que nos acalmam (massagem com pressão profunda ou música calma), outros nos alertam (cheiro de café ou barulho estranho na madrugada), outros nos exigem uma resposta rápida (panela queimando no fogão) e outros que precisam ser esquecidos para focar a atenção ao estímulo mais relevante durante uma tarefa (ruído da central de ar).
Então, essa habilidade para organizar esses estímulos, selecionar as informações relevantes e ignorar o que não é relevante chama-se INTEGRAÇÃO SENSORIAL. Segundo Ayres (1972) e Magalhães (2008), todas as nossas ações, desde os movimentos corporais, passando pelos processos de aprendizagem e formação de conceitos, são dependentes dessa capacidade de interpretar as informações sensoriais provenientes do ambiente e dos nossos movimentos e ações sobre materiais e objetos.

WhatsApp Image 2022-02-01 at 23.20.06.jpeg

INTEGRAÇÃO SENSORIAL

A integração sensorial é o processo neurológico que organiza as sensações do próprio corpo e do meio ambiente, tornando possível que o corpo utilize o ambiente de forma eficaz, ou falando de uma forma mais sucinta: É a organização de sensação pelo cérebro para o uso na vida cotidiana.

Fonte: https://habilito.com.br/

little-girl-happy-with-pasta-dish.jpg

SELETIVIDADE ALIMENTAR

A seletividade alimentar é atualmente classificada como Transtorno Alimentar Restritivo Evitativo (TARE). Mais do que apenas ser um comedor exigente, a pessoa com seletividade alimentar costuma ter aversão sensorial a certos sabores, texturas ou cores, chegando a desenvolver fobia de determinados alimentos. 

Como resultado, alimentam-se com uma dieta muito restrita, afetando principalmente a ingestão de micronutrientes, como vitaminas e minerais.

Fonte: https://www.essentialnutrition.com.br/

Integração Sensorial (8).jpeg

ATRASOS NO DESENVOLVIMENTO

O atraso no desenvolvimento ocorre quando a criança não atinge os marcos deste desenvolvimento no período esperado. Estes marcos são, por exemplo, a idade de sentar, de andar ou de iniciar a fala. A idade em que cada um destes marcos deve ser alcançado é estabelecida de acordo com a média de idade em que ocorre; existem algumas variações de um indivíduo para outro, e quando não é atingido ao prazo máximo, configura-se o atraso. Este pode ocorrer em uma ou várias áreas – por exemplo, habilidades motoras, linguísticas, sociais ou de coordenação motora refinada.

Fonte: https://www.neurologica.com.br/